Princípios da Maçonaria

A Maçonaria tem sido definida por vários modos. As mais correntes definições são:

I - A Ordem Maçônica é uma associação de homens sábios e virtuosos que se consideram irmãos entre si e cujo fim é viver em perfeita igualdade, intimamente unidos por laços de recíproca estima, confiança e amizade, estimulando-se, uns aos outros, na prática das virtudes.

II - É um sistema de Moral, velado por alegorias e ilustrado por símbolos.

Embora imperfeitas, estas definições nos dão a convicção de que a Ordem Maçônica sempre foi e deve continuar a ser a UNIÃO consciente de homens inteligentes, virtuosos, desinteressados, generosos e devotados; Irmãos livres e iguais, ligados por deveres de fraternidade para se prestarem mútua assistência e concorrerem, pelo exemplo e pela prática das virtudes, para esclarecer os homens e para prepará-los para a emancipação progressiva e pacífica da Humanidade através do conhecimento.

É, pois, uma sociedade iniciática, não só de Moral como de Filosofia social e espiritual, reveladas por alegorias e ensinadas por símbolos, guiando seus adeptos à prática a ao aperfeiçoamento dos mais elevados deveres do homem-cidadão, patriota e soldado.

Buscamos reestabelecer a Maçonaria em seu antigo e verdadeiro caráter de Apostolado da mais Alta Moralidade, da prática das Virtudes, da Liberdade debaixo da Lei, da Igualdade, segundo o mérito, com subordinação e disciplina e da Fraternidade com deveres mútuos, ampliando o limite das faculdades morais e intelectuais (na sua maior amplitude) e infundindo, nos usos e nos costumes da sociedade civil, os sãos princípios da filosofia altruística.

A Maçonaria é o progresso contínuo, por ensinamentos em uma série de graus, visando, por iniciações sucessivas, incutir no íntimo dos homens a LUZ CELESTIAL, ESPIRITUAL E DIVINA, que, afugentando os baixos sentimentos de materialidade, de sensualidade e de mundanismo e invocando sempre o G A D U, os torne dignos de si mesmos, da Família, da Pátria e da Humanidade.

O nosso Rito declara como princípios fundamentais:
1. A Maçonaria proclama, como sempre proclamou desde sua origem, a existência de um PRINCÍPIO CRIADOR, sob a denominação de G A D U (Grande Arquiteto do Universo) em respeito a todas as religiões.

2. A Maçonaria não impõe nenhum limite à livre investigação da Verdade; e é para garantir a todos essa liberdade que ela exige de todos a maior tolerância;

3. A Maçonaria é, portanto, acessível aos homens de todas as classes e de todas as crenças religiosas e políticas;

4. A Maçonaria proíbe, em suas oficinas, toda e qualquer discussão sobre matéria política partidária ou religiosa sectarista; recebe profanos, quaisquer que sejam as suas opiniões políticas e religiosas, mas livres e de bons costumes;

5. A Maçonaria tem por fim combater a ignorância em todas as suas modalidades; é uma escola mútua que impõe este programa;

6. Obedecer às leis do País; viver segundo os ditames da honra; praticar a Justiça; amar o próximo; trabalhar incessantemente pela felicidade do gênero humano e conseguir a sua emancipação progressiva e pacífica.

A par desta DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS, a Maçonaria proclama, também, as seguintes doutrinas sobre as quais se apoia: “Para elevar o homem aos próprios olhos, para torná-lo digno de sua missão sobre a Terra, a Maçonaria erige um dogma que o G A D U deu ao mesmo, como o mais precioso dos bens, a LIBERDADE, patrimônio da Humanidade toda, cintilação celeste que nenhum poder tem o direito de obscurecer ou de apagar e que é a fonte de todos os ensinamentos de honra e de dignidade”.

“Desde a preparação do primeiro grau até a obtenção do mais elevado da Maçonaria, a condição primordial, sem a qual nada se concede ao aspirante, é uma reputação de honra ilibada e de probidade incontestada”.

“Aquele para quem a religião é o consolo supremo, a Maçonaria diz: Cultiva a tua religião ininterruptamente, segue as inspirações de tua consciência; a Maçonaria não é uma religião, não professa um culto; quer a instrução integral; sua doutrina se condensa toda nesta máxima - AMA A TEU PRÓXIMO”.

“Aquele que, com razão, teme as discussões políticas, a Maçonaria diz: - Eu condeno qualquer debate, qualquer discussão em minhas reuniões; serve fiel e devotadamente à tua Pátria e não te pedirei contas de tuas crenças políticas. O amor à Pátria é perfeitamente compatível com a prática de todas as virtudes; a minha moral é a mais pura, pois funda-se sobre a primeira das virtudes – A SOLIDARIEDADE HUMANA”.

“O verdadeiro Maçom pratica o bem e leva a sua solicitude aos infelizes, quaisquer que eles sejam, na medida de suas forças. O Maçom deve, pois, repelir com sinceridade o desprezo, o egoísmo, a imoralidade”.

Os ensinamentos Maçônicos induzem seus adeptos a dedicarem-se à felicidade de seus semelhantes, não porque a razão e a justiça lhes imponham esse dever, mas porque esse sentimento de solidariedade é a qualidade inata que os fez filhos do Universo e amigos de todos os homens, fieis observadores da Lei de Amor e Simpatia que Deus estabeleceu no Planeta.